Política industrial, que incentiva exportações no setor de software, trará apenas benefícios indiretos para pequenos e médios empresários

26 de maio de 2008, Jornal do Commercio

 

...Claudio Seixas, diretor de parceria e exportação da WebSoftware concorda. Para ele, incentivos esporádicos como o atual historicamente se mostraram funcionais apenas para as grandes empresas. Seixas aponta a necessidade de o governo, que tem credibilidade no exterior, mostrar ao mundo que as empresas brasileiras são competentes e cumprem prazos. Exemplos disso são o sistema eleitoral e de cobrança de imposto de renda totalmente informatizado e funcional. Para Seixas, outros entraves são a falta de mãode- obra especializada e de capital de risco.

“Divulgação externa conjugada com educação tecnológica, desde as escolas de base, e atração de investidores de risco funcionariam mais do que ações esporádicas. A Índia trabalhou durante 30 anos para construir as bases e se tornar potência em serviços de TI, de três anos para cá”, afirma Seixas. Os esforços para exportação foram reduzidos nos últimos anos, em função da queda do dólar e desses entraves. Seu principal canal com o exterior foi construído por meio da filial brasileira da editora internacional Reader’s Digest. O sistema de call center virtual da empresa, em âmbito mundial, foi desenvolvido pela WebSoftware.

Clique aqui e leia na íntegra

Publicada em: 26/05/2008 às 00:00 Seção: Seu Negócio

[26/05/2008]